Como usar oxigênio domiciliar? Qual dose usar em casa?

Com a indicação do uso contínuo de oxigênio domiciliar, é necessário fazer uma titulação de oxigênio, descobrindo qual a dosagem usar em casa, seja durante o repouso, sono ou durante a realização de alguma atividade que demande maior esforço. Aprender a como utilizar o oxigênio suplementar adequadamente é passo essencial para o usuário de oxigenoterapia domiciliar prolongada (ODP).

O uso de oxigênio domiciliar existe no mundo a mais de 70 anos e vêm cada dia sendo mais utilizado na prática clínica.

A ODP tem o objetivo de reduzir a hipóxia tecidual durante as atividades de vida diárias, aumentando a sobrevida dos pacientes, com a melhora inclusive, de sintomas clínicos.

Amplos estudos comprovam também, uma melhora na qualidade de vida com o aumento da tolerância ao exercício, diminuição do número de internações e melhora do estado neuropsíquico (pelo aumento da oxigenação cerebral) aos pacientes portadores de DPOC, cor pulmonale e hipoxemia grave.

Fisiologicamente, o uso de oxigenoterapia domiciliar melhora a oferta de oxigênio para as células, o que alivia o estresse da hipoxemia sobre o sistema cardiovascular, minimizando as arritmias cardíacas e a progressão da hipertensão pulmonar (HP), além de poder estabilizar a função pulmonar.

A real necessidade de ODP deve ser indicada pelo médico, que deverá se basear em exames laboratoriais, além da avaliação clínica de cada paciente.

 Efeitos da Oxigenoterapia domiciliar prolongada

Já é largamente apresentada, em estudos, a melhora da sobrevida em pacientes hipoxêmicos crônicos com o uso de oxigênio domiciliar.

É também conhecida a relação de maior taxa de sobrevida com maiores períodos de uso do oxigênio, por exemplo por 24hs ao dia, quando corretamente indicado.

Com o aumento da oferta de oxigênio e notadamente a reversão da hipoxemia tecidual, há a possibilidade do aumento da capacidade de tolerância ao exercício, possibilitando ganho de condicionamento físico e massa muscular.

Pacientes em uso de ODP, podem se beneficiar muito de programas de reabilitação cardiopulmonar. Nestes programas, com devido acompanhamento de fisioterapeuta capacitado, será possível melhorar a capacidade física e pulmonar, com a melhora no estado de saúde geral e diminuição do número de internações hospitalares.

reabilitacao-pulmonar

Além da melhora física, nos pacientes em uso de ODP, é possível observar uma melhora na concentração, memória e compreensão intelectual secundária a melhora da oxigenação tecidual cerebral.

Diferenças na oxigenação durante o dia e noite

O consumo tecidual de oxigênio não é o mesmo durante todo o dia, mas difere nos períodos de repouso e também nas atividades físicas intensas ou leves.

Já durante a noite, a hipoxemia piora, principalmente na fase REM (rapid eye movement – movimento rápido dos olhos) do sono.

Alguns estudos alertam para uma hipoxemia maior durante a noite quando comparada com a diurna durante a atividade intensa.

Sabendo que há tais diferenças na necessidade de oxigênio em diversos momentos do dia e da noite, já é possível notar a importância de uma avaliação minuciosa, com profissionais capacitados, para uma correta titulação da dose de oxigênio tanto para o dia, quanto para exercícios e durante o sono.

oximetria-noturna

Como titular a dose de oxigênio?

A titulação de oxigênio é um teste simples, realizado com um oxímetro de pulso, onde é realizada a medição da oxigenação do sangue (oximetria de pulso), durante cada período do dia (em repouso, trocando de roupa, subindo escada, realizando exercícios físicos, durante o sono etc.).

De maneira geral, o fluxo de oxigênio ideal é aquele capaz de corrigir a hipóxia e manter a SpO2 >90% (ou PaO2 pelo menos 60mmHg – caso haja exigência médica de medição arterial).

Para a titulação diurna, seja em repouso ou atividade física, um oxímetro de pulso simples pode dar conta do recado, entretanto, no período noturno, a avaliação pode não ser fidedigna, devido às diferentes fases do sono ou posicionamento.

Até a pouco tempo atrás, era comum acrescentar 1 l/min (litro por minuto) ao fluxo usado no período diurno, para uso noturno, mas hoje, com a tecnologia existente, tal ação tem se tornado obsoleta.

biologix

Hoje, já existe o Biologix, um equipamento de oximetria de pulso que, em conjunto a um aplicativo no celular é capaz de gerar um relatório bem completo de oximetria, facilitando o entendimento do profissional na titulação da dosagem de oxigênio ideal, podendo inclusive, ser utilizado tanto durante o dia, quanto durante o sono.

Tal equipamento pode também excluir a existência de apneia obstrutiva do sono (AOS), ao qual se faz necessária uma outra abordagem terapêutica associada.

Então, com o avanço da tecnologia, a oxigenoterapia domiciliar pode ser feita com muito mais segurança e precisão, aumentando a sobrevida com qualidade de vida dos pacientes hipoxêmicos crônicos.

Oxigênio é tóxico?

O uso indiscriminado de oxigênio pode causar diferentes malefícios, tanto para o uso de doses acima das necessárias, promovendo o que chamamos de hiperóxia, quanto para o uso de doses abaixo das necessárias, não revertendo a hipóxia.

hipoxia-hiperoxia

É altamente recomendada a utilização do fluxo de oxigênio suficiente para mantar a SpO2 adequada (entre 90% e 92%).

Dosagens altas, a longo prazo, que garantam SpO2 acima de 94% em pacientes hipoxêmicos crônicos, podem gerar danos pulmonares com o aparecimento de edema pulmonar não cardiogênico ou lesões permanentes com necrose tecidual pulmonar.

Em dosagens abaixo da necessária observa-se a continuação da degradação pulmonar e cardíaca, além de alterações psíquicas por hipóxia tecidual.

Outros pontos importantes

A forma de entrega do oxigênio também é um fator importante a ser avaliada, seja por concentrador de oxigênio, torpedos/cilindros de oxigênio ou terapia de alto fluxo domiciliar (myAIRVO2).

Comprar ou alugar um equipamento também é um fator importante a ser avaliado.

Viagens, principalmente as realizadas em aeronave, necessitam de avaliação específica, uma vez que a SpO2 é menor em altas altitudes e, portanto, a dosagem de oxigênio será maior. Nestas situações, uma avaliação e orientações especificas se fazem essenciais.

Em face a todas estas variantes, seja na forma de administração, objetivo do uso, período de uso ou nível de hipoxemia, a correta titulação de oxigênio é ponto chave no sucesso da ODP.

Aqui na Physical Care realizamos a titulação de oxigênio com o Biologix.

O exame é avaliado por profissionais competentes, em conjunto com os profissionais responsáveis por cada paciente.

Somente com essa assertividade na titulação é possível agrupar todos os benefícios que a ODP pode oferecer aos usuários.

 

Agende seu exame Biologix, clique aqui.

 

 

Fontes:

  1. https://www.scielo.br/j/jpneu/a/7Ykb5Yvt88HRsxFqSgRRwNd/?lang=pt
  2. https://www.jornaldepneumologia.com.br/details/173/pt-BR/efeitos-da-hiperoxia-sobre-o-pulmao-de-ratos-wistar
  3. https://www.scielo.br/j/jbpneu/a/kx6ktMHQBbG5nhnYqSqyqBF/?lang=pt
  4. https://www.biologix.com.br/2020/08/22/pneumologia-e-monitoramento-de-oximetria/

 

Open chat
Olá! Como podemos ajudar?