Viajando com oxigênio por ar, terra ou mar

Viajar é um ato que melhora a qualidade de vida e traz muitos benefícios à saúde física, emocional e mental. Por isso, usuários de oxigênio não devem ficar em segundo plano quando o assunto for "viagem de férias". Hoje é possível tirar férias com segurança, sem descuidar da saúde, viajando com oxigênio a tiracolo de forma bem simples.

O uso de oxigênio (O2) domiciliar é uma prática comum na vida de portadores de doenças respiratórias crônicas. Outros distúrbios respiratórios, sejam eles permanentes ou temporários também podem ter indicação.

Sair de casa com oxigênio sempre foi um desafio e até certo tempo atrás, o cilindro de O2 de 1m³ (cilindro pequeno com suporte de rodinhas) era a principal alternativa destes usuários. Entretanto, o tempo de duração do ar armazenado no cilindro era, por muitas vezes, insuficiente para todo o trajeto, ainda mais se houvesse trânsito intenso ou uma espera longa para uma consulta médica, por exemplo. E esse é o grande desafio quando se viaja com cilindro de oxigênio, a duração e a dificuldade em recarregá-lo em qualquer lugar o torna uma opção para curtas distancias associado ao uso esporádico ou de baixas dosagens, o que prolongaria a duração.

Já os concentradores portáteis de oxigênio, estão cada dia mais famosos e desejáveis entre os pacientes, por oferecerem alto grau de liberdade e autonomia, possibilitando inclusive viagens, além de serem facilmente recarregados em qualquer tomada, serem menores, mais leves, e visivelmente ainda mais atraentes em comparação com os cilindros.

Pode viajar com cilindro de oxigênio?

E com concentrador de oxigênio, pode?

É possível levar oxigênio no avião, trem, navio e/ou no ônibus?

São muitas perguntas que envolvem os usuários de oxigênio domiciliar quando a questão é sair de casa, seja para ir até a padaria ou mesmo viajar, e não é para menos, são muitos pontos que precisam ser observados com atenção, desde a dosagem do oxigênio, tempo de bateria, tempo de viagem, modelo de equipamento, entre outras coisas.

Entretanto, é possível planejar sim, sem grandes dificuldades, uma escapadinha estratégica e encarar uma viagem visando um merecido descanso. O segredo é ter um provedor de serviços médicos com profissionais competentes para orientar no que precisar para ser possível viajar com oxigênio e acredite, isso não precisa custar uma fortuna.

Em primeiro lugar é sempre importante salientar que o uso medicinal de oxigênio, seja ele para aluguel ou compra, está condicionado a indicações médicas específicas e por isso uma prescrição médica é imprescindível.

Uma outra colocação importante é de que existem diversos modelos de concentradores portáteis no mercado, com capacidades de oferta de oxigênio diferentes e por isso um teste assistido por um profissional competente é altamente recomendado.

Em segundo lugar, precisamos falar sobre quem pode e quem não pode viajar.

 

Será que existem doenças que impedem as pessoas de viajar?

Independente da doença pulmonar que o indivíduo tenha, é uma recomendação do Conselho Federal de Medicina que o quadro clínico respiratório do paciente esteja necessariamente controlado, sem infecções ativas.

Portanto, pacientes que estejam com pneumonia, tuberculose, covid ou sinusite, por exemplo não devem viajar. Quadros de asma não controlada ou DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica) exacerbado também não devem viajar.

Para casos cirúrgicos, sejam elas cardíacas ou pulmonares, um médico deve ser consultado para avaliação e o paciente deverá ser avaliado de maneira personalizada. Casos de pneumotórax recente são geralmente, contraindicados de viajar, a menos que tenham liberação médica.

Essas condições precisam ser seriamente observadas, principalmente quando a viagem for por aeronaves.

 

O que muda viajando de avião?

Um avião pode chegar a cerca de 10.000 metros de altura. A pressão atmosférica em grandes altitudes cai e com isso a respiração fica prejudicada, diminuindo a oxigenação no sangue. Por isso, o interior das aeronaves precisa estar pressurizado, a fim de minimizar este prejuízo e manter a oxigenação satisfatória, porém, pacientes que já possuem a integridade pulmonar prejudicada, precisam tomar muito cuidado, pois a queda dos níveis de oxigênio a valores muito baixos gera sofrimento celular prejudicando principalmente o sistema nervoso central e o coração.

O uso de um oxímetro de pulso para avaliação durante todo o trajeto é obrigatório.

 

Os cilindros de oxigênio não são permitidos dentro das aeronaves. O único dispositivo capaz de fornecer oxigênio durante viagens de avião, permitido pela FAA (Federal Aviation Administration – órgão regulador de transporte aéreo dos Estados Unidos) de serem transportados em aeronaves, são alguns modelos específicos de concentradores portáteis de oxigênio.

Os modelos comercializados por nós da Physical Care, tanto para aluguel como para venda, são o SimplyGo e SimplyGo Mini, ambos da marca Philips e são autorizados para transporte em aeronaves.

 

Como viajar com oxigênio?

Levando seu concentrador portátil de oxigênio no AVIÃO

Toda companhia aérea possui políticas próprias para viajar com concentradores de oxigênio portáteis (POC – Portable Oxygen Concentrator). Algumas empresas não permitem o uso do equipamento durante o voo e outras não permitem o uso de tomadas para carregamento, podendo precisar de baterias extras. Portanto, ao fazer a reserva, é extremamente importante verificar com a empresa aérea a política relativa ao uso do de concentradores portáteis durante a viagem.

É também importante checar as orientações de todas as empresas aéreas de suas conexões até o destino (ida e volta). Certifique-se de perguntar sobre qualquer documentação que seja preciso portar, pois as empresas aéreas normalmente solicitam um documento chamado MEDIF (Medical Information Form – fornecido pela cia aérea), que precisa ser preenchido e assinado pelo seu médico, além de ter as informações sobre o equipamento que será levado. Este documento necessita ser avaliado e aprovado pela companhia aérea, o que pode demorar alguns dias.

Levando seu concentrador portátil de oxigênio no BARCO

É possível viajar de barco portando um concentrador portátil de oxigênio. A empresa responsável pela embarcação deve ser contatada com antecedência a fim de avaliar tanto a necessidade de documentação específica, bem como o uso de adaptadores para carregamento durante a viagem.

Levando seu concentrador portátil de oxigênio no TREM

Também é possível viajar de trem portando um concentrador portátil de oxigênio. É necessário contatar as autoridades ferroviárias com antecedência, avaliar a necessidade de documentação específica e ajustar o tempo de bateria com o tempo de viagem, uma vez que pode não ser possível o carregamento durante o trajeto. Baterias extras podem ser exigidas. Operadoras de transporte ferroviários de outros países podem ter outras exigências quanto a concentradores de oxigênio. Entre em contato com elas algumas semanas antes do embarque para verificar todas as exigências ou especificações que possam requerer a sua atenção.

 Levando seu concentrador portátil de oxigênio no ÔNIBUS

A maioria das linhas de ônibus de viagem permitem que os passageiros usem concentradores de oxigênio portáteis, mas você deve notificá-las com antecedência. Ao fazer as reservas de viagem, entre em contato com a companhia transportadora bem antes da partida para obter uma permissão de levar e usar o seu sistema a bordo. Operadoras de transporte por ônibus de outros países podem ter outras exigências quanto a concentradores de oxigênio, por isso contate-as com algumas semanas de antecedência.

 

E vale a pena?

Manter o máximo de qualidade de vida, mesmo usando oxigênio 24hs ao dia vale muito a pena.

Apesar de parecer muito burocrático, o processo não é tão difícil e viajar com oxigênio, o que antes parecia impossível de acontecer, ficou totalmente possível.

Converse com seu médico, esclareça suas dúvidas e obtenha sua permissão. Peça a documentação necessária a ser preenchida por ele, entregue ao órgão competente e procure conhecer seu equipamento ao máximo e pronto, é só viajar.

 

Saber manusear e ajustar o equipamento corretamente e obter detalhes sobre o uso antes, durante e depois do embarque são fundamentais, além de informações sobre a duração das baterias e tempo de carregamento devem ser observados.

É importante saber que os concentradores de oxigênio portáteis possuem uma capacidade limitada na dosagem de oxigênio e por isso um teste de esforço é recomendado, previamente à viagem, a fim de avaliar se o equipamento suprirá a necessidade de cada paciente, minimizando dificuldades que possam ocorrer durante o voo.

A Physical Care possui larga experiência em locação e venda de concentradores de oxigênio portátil e uma equipe altamente competente na realização do teste de esforço, bem como no fornecimento de orientações de todos os detalhes para antes, durante e depois do trajeto da viagem.

 

Agende seu teste de esforço clicando aqui.

Alugue um concentrador de oxigênio portátil, clique aqui.

Open chat
Olá! Como podemos ajudar?