Sonolência excessiva pode ser apneia do sono

Saiba os sintomas da doença e conheça o teste para identificar se você deve ou não procurar um especialista.

O trabalho do dia a dia, os estudos e a vida pessoal podem causar uma exaustão e sonolência durante o dia, porém, nem sempre esse cansaço pode ser solucionado com uma boa noite de sono. A sonolência excessiva é um dos sintomas causado pela apneia obstrutiva do sono (AOS), doença em que o paciente tem pausas na respiração enquanto dorme, impedindo o ar de chegar nos pulmões.

A apneia obstrui as vias aéreas, impedindo a respiração dos pacientes, interrompendo o sono do paciente e assim causando distúrbios de sono. Outro sintoma comum causado pela doença é o ronco, segunda a Dra. Fernanda Cristina Ferreira de Camargo, Fisioterapeuta e Especialista da Physical Care, Centro de Referência em Sono, o som é provocado pela obstrução parcial ou mesmo completa das vias aéreas superiores, o que dificulta a passagem do ar.

“O ronco pode ser um sintoma da apneia obstrutiva do sono que é caracterizado pela parada respiratória impedindo a entrada de oxigênio e saída de gás carbônico enquanto o paciente acredita estar dormindo, porém, na verdade estão ocorrendo micro despertares que impossibilitam que as fases do sono sigam seu rumo natural para que haja um sono verdadeiramente reparador” explica a especialista.

Para saber se você tem alto ou baixo risco de apneia, há um teste online, com duração de 3 minutos, para você identificar se deve ou não procurar um especialista no assunto. Além da sonolência excessiva e o ronco existem outros sintomas menos comuns em pacientes que possuem a doença, como dores de cabeça no período da manhã, insônia, ansiedade, depressão, esquecimento, ganho de peso e o aumento da frequência cardíaca.

Tratamento

Apneia do sono não tem cura, mas pode ser controlada quando bem diagnosticada. O tratamento tem como objetivo manter as vias aéreas livres restaurando o fluxo de ar durante a noite, para isso a preciso utilizar uma máscara que veste o somente o nariz ou o nariz e boca ao mesmo tempo, conectada a um gerador de fluxo de ar, conhecido como CPAP. O CPAP consiste em pressão positiva para facilitar a passagem do ar através das vias aéreas superiores durante a noite.

De acordo com a Dra. Fernanda o nível dessa pressão positiva fornecida pela interface da máscara é ajustado no paciente de acordo com o estudo polissonográfico. “O uso da máscara e CPAP de maneira certa pode apresentar uma taxa de sucesso acima de 80% no tratamento, seu uso diário depende da parceria entre fisioterapeuta e paciente que é fundamental para uma escolha adequada da máscara e do gerador de fluxo (Cpap ou Bipap) que devidamente ajustados, ou seja, sem vazamentos pelo bom acoplamento da máscara no rosto e pelo ajuste da pressão ideal que é realizado no equipamento pelos nossos profissionais. A correta utilização da máscara e mesmo sua higienização é ensinada ao paciente, além do acompanhamento de perto que é um dos maiores diferenciais Physical Care para que haja uma adaptação e manutenção do tratamento e assim seus respectivos benefícios a saúde,” finaliza a doutora.